Expedition Happiness: sobre procurar a felicidade ao redor do mundo

maio 09, 2018


Minha mãe é uma fã incurável de sertanejo. Aquele raiz mesmo do João Paulo e Daniel, Zezé di Camargo e Luciano. Eu lembro que foi graças ao Leandro e Leonardo que lá pelos meus 5 anos de idade tive a primeira reflexão sobre a felicidade, por causa de "pense em mim, chore por mim, liga pra mim não não liga pra ele". 

Quando eles cantavam: "vamos pegar o primeiro avião com o destino à felicidade..." eu me pegava pensando em como é que elem poderiam pegar um avião e ir parar na felicidade. Afinal, onde seria a felicidade? Onde quer que fosse, eu queria ir também! Mas daí ele cantava: "e a felicidade pra mim é você..." e eu pensava que então a felicidade não era um lugar, mas uma pessoa. O avião, então, iria para algum lugar em que estava a pessoa que era a felicidade dele.

Mas na primeira frase ele chama essa pessoa para pegar esse avião e ir para a felicidade. Só que se a pessoa é a felicidade que ele vai buscar de avião, mas se essa pessoa aceitar o convite de ir com ele, ele já vai estar com a felicidade no avião. Pra onde irá esse avião então? Significa que todos os lugares serão felizes, inclusive o trajeto que ele vai passar com a pessoa no avião?

Talvez, desde os 5 anos algum robozinho filosófico já habitava em mim, afinal, que criança pensa nisso pelo amor de Deus? De qualquer forma, mesmo infantis, foram reflexões válidas porque pude retomá-las recentemente! 

Pedi no meu instagram (@karolgoncalvesblog) outro dia dicas de documentários para assistir e recebi algumas indicações (ainda estou assistindo as que me mandaram). Um dos que eu decidi ver na Netflix foi o Expedition Happiness que, em tradução livre, ficou algo como Destino Felicidade e achei uma obra incrível e que permite discussões fantásticas, então, vamos a elas!

Temos aqui um casal alemão que se conheceu de uma forma inusitada (não vou contar, vocês vão ter que ver!) e descobriram que a forma de ver o mundo dos dois era bem similar. Alugaram um apartamento em Berlim, mas logo perceberam que queriam algo mais da vida, uma experiência aventureira e decidiram sair à procura da felicidade.

Entretanto, sair à procura da felicidade, para eles, exigiu um plano. Então, eles se livraram do aluguel em Berlim e de algumas coisas que tinham e voaram até NY. Lá eles compraram um ÔNIBUS ESCOLAR que ia ser o meio de transporte na missão e também o lar deles e do querido cachorro do casal durante a missão bem definida!


O primeiro passo, após a compra do ônibus foi prepará-lo para ser um lar. Eles tiveram o cuidado e o espírito aventureiro de preparar TODO o veículo de uma forma muito especial. Levou cerca de 3 meses para o ônibus ficar prontinho e eu fiquei MUITO surpresa com o resultado final, principalmente tendo sido algo feito apenas pelo casal! 



Ônibus pronto, o casal e o cachorro partiram para a segunda parte do plano. A ideia inicial era chegar até o Alasca e então desder tudo de novo até o extremo sul nos países da América do Sul. O plano Alasca-América do Sul já é gigantesco e super audacioso, mas não vamos nos esquecer que o pontapé inicial que é de NY até o Alasca também é enorme.

Acontece que nem tudo são flores! O ônibus estava lindo e parecia muito útil para as necessidades de todos, entretanto, os problemas não demoraram a surgir, afinal, a vida real é assim mesmo. Não quero contar spoilers nem nada do tipo, mas posso adiantar que você se percebe torcendo pelo casal e pelo cachorro.

Eles vão ter problemas com a imigração, com o ônibus, com a saúde do cachorro e você fica realmente muito preso, querendo saber se a aventura vai ser realizada, se eles vão conseguir concluir o plano, se eles vão conseguir retornar intactos. Não podemos esquecer de comentar que, em meio aos dissabores, eles descobriram lugares incríveis, conheceram pessoas maravilhosas e foi uma experiência tão inacreditável que você PRECISA assistir para descobrir junto com eles se a felicidade é mesmo um destino!


De qualquer forma, teve uma frase que o rapaz falou durante o documentário que me marcou muito. Ele estava filmando esse rio aí da foto, ainda no começo da viagem e disse que não sabia se eles iriam encontrar o destino, a felicidade, mas que acordar pela manhã e ver uma paisagem dessas passava a impressão de que eles já tinham atingido níveis altíssimos de felicidade.

Independente do final do documentário (que eu não vou contar, porque você PRECISA VER), eu firmei uma opinião a respeito dessa busca constante pela felicidade. Não é o destino, é o trajeto. A felicidade realmente está guardada em pequenos momentos durante o caminho de uma viagem, a preparação para uma prova, um almoço de domingo, uma gargalhada com amigos ou parentes.


A verdade é que enquanto estamos muito preocupados em alcançar algo para então sermos felizes, perdemos pequenos momentos de felicidade que a vida nos reserva. E no final é bem isso: a felicidade é aquela colcha de retalhos dos pequenos momentos em que você foi feliz. Não é para ser um estado permanente, porque a vida é repleta de momentos altos e baixos, mas a felicidade é para ser o conjunto de pessoas e lugares e momentos!

E o mais legal é que, sendo formada de pequenos momentos, a felicidade pode ser alcançada pela memória. Então, naqueles momentos mais tristes, você pode abrir aquela caixinha que está na memória e repleta de sorrisos, de pessoas, de família e de tudo que aquece o nosso coração!

Portanto, a felicidade não está perdida em algum destino que você pode ir de avião ou num ônibus. O trajeto e os pequenos momentos que realmente importa e você terá um momento inacreditável assistindo a este documentário. Espero realmente que você veja e reflita sobre toda essa questão da felicidade.

Mas o que eu mais espero mesmo é que sejamos todos muito felizes!!!

Posts relacionados

2 comentários

  1. Não sou muito fã de documentários, confesso. Mas que bom que vc gostou!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não era muito fã, mas agora que estou dando uma chance, estou gostando sim!

      Excluir