São os amores imperfeitos que nós queremos - 4 músicas que te farão entender isso

abril 30, 2018


Sempre dizem por aí que existem elementos criados pelo homem que despertam de imediato nossas sensações e as memórias guardadas. Gostos podem te remeter de imediato para algo que você comeu e que te marcou muito, por exemplo. Quando passa alguém com um perfume familiar que instantaneamente te remete a alguém. E aquela música que começa a tocar e de repente você é transportado para outro momento.

Hoje nós vamos falar das músicas. Elas que estão diretamente ligadas aos nossos sentimentos. Elas que atribuímos a lembranças, pessoas, lugares. Elas que marcam nossos amores. E por falar em amores, vamos conversar hoje um pouco sobre amores imperfeitos e por que geralmente somos tendenciosos a respeito dessas imperfeições.

Pensando nisso, lembrei de 4 músicas que podem comprovar que são os amores imperfeitos que nós queremos. Acontece que aprendemos desde a infância a almejar a história perfeita, o namorado (a) perfeito (a), o relacionamento perfeito e, por estarmos tão distraídos querendo alcançar uma perfeição inalcançável, podemos deixar histórias bacanas passarem diante de nós. Vamos ver em 4 músicas que as imperfeições podem ser bem especiais!

Vamos às músicas, mas antes disso, quero que esse post não fique apenas numa discussão bacana sobre amor e imperfeição, mas que também sirva de super indicações musicais porque tem muita coisa legal por aí!


QUANDO DOIS ERRADOS FAZEM DAR CERTO: JOHN MAYER EM SPLIT SCREEN SADNESS



Já disse no nosso último post sobre listas de músicas (canções para Olívias, aqui), que se não for pra começar falando de música com John Mayer, eu nem começo! (risos) Muitas interpretações possíveis para essa música incrível. 

Aqui amor não parece ser o problema, há sentimento de sobra. Mas é um daqueles casos em que sentimento não é mais o suficiente. Então, ela precisou ir, ele não sabe exatamente onde ela está e se dispõe a ficar na varanda até ela retornar pra casa. Ele diz que não há como culpá-la por nada, a não ser o ar que ela levou e a respiração que deixou. São tristezas em telas separadas.

A imperfeição aqui talvez resida no fato de nenhum dos dois ter conseguido fazer funcionar. E aí você vai me perguntar o que poderia nos fazer desejar um amor imperfeito que não dura. O que há para desejar aqui está no empenho e na reciprocidade. Eles podem até não ter conseguido ajustar o necessário, o que os fizeram terminar em telas separadas de tristeza, mas os dois compartilham essa tela.

Na segunda estrofe da música, ele fala: "'Tudo que você precisa é amor' é uma mentira, porque nós tínhamos amor e ainda dissemos adeus. Agora estamos esgotados, guerreiros feridos".

A ideia de guerreiros aqui não me transparece como se eles estivessem em pólos opostos. Toda a música faz parecer que eles realmente estiveram empenhados. Perto do fim da música ele acaba por confirmar essa teoria, ao afirmar que ele sabe que foi ele que deu fim no que tinham, mas que ele continua desejando que ela lute por ele até seu último dia.

Por fim, finaliza a canção dizendo que mal pode esperar pelo dia em que vai descobrir o que há de errado com ele para finalmente poder dizer que esse era o seu jeito de antes, mas que não é mais assim. Me parece bem claro que estamos diante de pessoas que vivem errando, mas que assumem suas limitações, tentam, se esforçam, mesmo depois de já não ter dado certo em determinado relacionamento. Como diz o refrão, "dois errados fazem dar tudo certo nesta noite".

Se você se apegar às entrelinhas, é quase um manifesto a favor das tentativas, do amor imperfeito, não idealizado, porém sincero. A verdade é que não existem pessoas perfeitas, que nunca vão errar com a gente. Somos seres imperfeitos e servimos de lares para sentimentos perfeitos. Entretanto, precisamos lidar com as imperfeições. O que todos nós deveríamos querer no exemplo dessa música é saber lidar com as imperfeições e continuar tentando! Por amores que não desistem, mesmo que imperfeitos!


QUANDO A DISTÂNCIA NÃO É LIMITAÇÃO: DEATH CABE FOR CUTIE EM LITTLE WANDERER!



O tanto que essa música é linda e uma das minhas preferidas da vida, vocês só vão entender quando escutarem. Em resumo, ela está no Japão e ele escreve essa música linda sobre viver para guardar o seu retorno. Ele descreve as horas que conta até seu retorno, como aguarda o momento de se encontrarem na restituição de bagagens do aeroporto e como esta é uma situação não usual, mas que ele espera que não mude em nada os sentimentos dela.

Aqui a imperfeição certamente reside na necessidade de estar longe. Quando conheci essa música, há uns 4 anos atrás, descobri que ele escreveu para sua namorada que foi morar em Tóquio e que a distância era realmente difícil, mas que existem sentimentos muito maiores do que a distância até o lado oposto do planeta.

Como não desejar um amor que, mesmo imperfeito, supere todos os obstáculos causados pelo afastamento? Nem preciso falar muito sobre essa música, só dá uma lida nessa tradução aqui.


UM AMOR SEM IDEALIZAÇÕES: THE CHAINSMOKERS & COLDPLAY EM SOMETHING JUST LIKE THIS!



Essa talvez seja minha parte preferida dos amores imperfeitos: eles não são idealizados! Sabe quando você conhece uma pessoa muito incrível e não se importa com padrões de beleza, com presunções, com características como dinheiro, família, beleza? A imperfeição aqui é a graça do negócio! Você pode ser você, a pessoa pode ser quem ela quiser, porque realmente não importa nada além dos sentimentos e do bem que um faz ao outro.

Essa música passa isso de uma forma linda! Ele diz andou lendo livros antigos, lendas e mitos sobre Aquiles, Hércules, Batman, Super-Homem e não se sentiu tão especial quanto essas pessoas. Mas aí ela chegou pra ele e perguntou: "Aonde você quer ir? O quanto você quer arriscar? Não estou procurando alguém com dons sobre-humanos, um super-herói ou conto de fadas. Apenas alguém a quem eu possa recorrer, beijar, sentir falta".

No fundo no fundo, não é isso que todos nós queremos? Essa dose de imperfeição me parece bem perfeita!


AS FLORES DA ESTAÇÃO: SKANK EM AMORES IMPERFEITOS!



E para finalizar, "Sei que amores imperfeitos são as flores da estação", o que resume todo esse post.

Essa música do Skank revela, pelo menos pra mim, um cuidado do eu-lírico, como se ele fosse alguém que sempre vai estar ali, para colocar uma toalha e servir o jantar. Quando ele diz que não quer que a pessoa passe a noite em claro, revela também um cuidado, sabe?

"Quantas páginas o amor já mereceu? Os filósofos não dizem nada que eu não possa dizer... Quantos versos sobre nós eu já guardei. Deixa a luz daquela sala acesa e me peça pra voltar".

Essa música tem uma versão linda e muito especial feita pelo duo Anavitória. Qual vocês preferem?


Esse foi o post de hoje, pessoal. A intenção era fazer a gente pensar um pouquinho que as vezes as imperfeições podem ser bastante especiais. Um término pode mostrar o quanto a pessoa se importa, a distância pode reforçar um sentimento, o fato de a sua história não ser um conto de fadas não tira dela suas características especiais e, por fim, os amores imperfeitos se revelam como flores da estação.

São quatro músicas pra você pensar que idealizar o amor não necessariamente vai te fazer feliz.Sinto que somos projetados para viver histórias perfeitas, conhecer pessoas perfeitas e toda essa imposição à perfeição pode nos fazer perder muitas coisas. As vezes, o que a gente interpreta num primeiro momento como falha, imperfeição, pode ser justamente aquilo que vai tornar toda a história muito mais particular e especial. Pensem nisso!

Espero que tenham gostado do post e das músicas. Me conta nos comentários o que vocês acharam e vem conversar comigo lá no Instagram @karolgoncalvesblog.

Posts relacionados

2 comentários