Image Map

domingo, 1 de março de 2015

Texto - Beija a flor, beija-flor!



Ele era beija-flor. Por isso, fazia parte de sua natureza buscar alimento em diversas flores. Tais pássaros se alimentam enquanto ainda estão no ar e isso mostra a sua incapacidade de permanecer. Permanecer com a flor. Significa que ele vai e vem conforme dita a sua necessidade. A tonalidade brilhante metálica de seu ser e a plumagem que o cobria fazia com que ele fosse diferente. Beija-flor continuava indo e vindo e nunca ficava! Continuava sempre procurando as flores mais chamativas, de cores impactantes para que pudesse sempre se alimentar e partir. Triste rotina a de um beija-flor!

Ela era flor. Sua construção não era longa, nem suas pétalas tão formosas, mas nossa flor exalava um perfume, ela transmitia vida. Todavia, por ter um curto caule, não era vista por beija-flor que batia asas pelo jardim em sua rotina diária. É claro que ele sentia a vida que emanava de alguma flor naquele jardim. Ela pacientemente esperava pelo dia em que ele fosse descobrir que o perfume dela poderia ser dele também. Ela pacientemente esperava pelo dia em que ele fosse descobrir que a vida que emanava dela, poderia ser a vida dos dois. Flor pacientemente esperava ser beijada por beija-flor.


Flor era persistente, flor nunca foi de desistir. Beija-flor era determinado, beija-flor nunca foi de ficar em um lugar só. Ela sabia que podia mudar isso! A verdade é que a determinação dele em visitar diversas flores, apenas mostrava como ele estava perdido. Mas no dia em que ele encontrou a pequena flor da vida em meio ao jardim e descansou sua cabeça nas pétalas dela, sabia que não estaria perdido nunca mais! Flor tinha sido beijada. Beija-flor tinha sido entrelaçado em pequenos laços de paraíso.

Eu cresci assistindo da minha janela esse pequeno e natural romance. Beija-flor tinha aprendido a ficar. Flor tinha aprendido a aparecer. E eu tinha aprendido que queria viver um amor simples como esse. Enquanto eu crescia, minha janela parecia menor e meus olhos mais atentos, então tive que ir lá fora. Foi quando eu vi que não era um amor tão simples assim. Ele retirava dela o pólen para sua própria existência e ela trouxe para o solo um ser feito para voar. Um sugava algo do outro, mas percebi também que um acrescentava mais ao outro do que eu imaginava.  Ela deu vida aos dias iguais do beija-flor. Ele trouxe confiança e companheirismo para a pequena flor.

Um dia a flor ficou fraca e adoeceu, enquanto ele não estava junto a ela. Foi quando todos nós percebemos que não era só ela que dava vida a ele, mas ele era a vida dela. Enquanto esteve fora, ele percebeu que a sensação de voar não era a mesma, já que seu coração estava preso ao solo, nas pétalas de uma pequena flor. Dois seres de espécies tão diferentes tinham se tornado o complemento perfeito para enfrentar o grande caos do mundo ao redor.


Beija-flor é meu pai e flor da vida é minha mãe e essa é uma história real. Eu sou a telespectadora e o resultado direto do que acabei de contar! Ao longo dos anos eu vi a chuva caindo no nosso jardim e também dias muito secos, mas nunca deixei de desejar que o mesmo acontecesse comigo. Quero ter o meu próprio jardim onde alguém chegue para acrescentar. Quero não ter que chamar atenção para ser notada, mas ser notada pela essência do meu ser. Quero ser livre e suavemente entrelaçada ao mesmo tempo. E se eu nunca conseguir tudo isso, posso dizer que já tive a oportunidade de testemunhar uma fantástica história.

2 comentários:

  1. Que forma mais linda de retratar o amor de seus pais, emocionante mesmo. Espero que você consiga uma amor assim também <3

    www.hipermetropiafashion.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou :D Também espero, rs. Adoro seu blog, ele é incrível :D

      Excluir