Image Map

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Texto: O que eu diria para o meu eu de sete anos atrás


Esses dias estava lembrando que quando tinha 15 anos criei um plano de 10 anos para a minha vida. Sempre gostei de planejamento, de controlar o curso das coisas e até hoje amo quando tudo corre exatamente como eu quero. Falta menos de um mês para eu fazer 22 anos e percebi que absolutamente nada no meu plano foi feito. É sério, nada! Apesar de gostar de ter o comando das coisas, fico feliz por não ter sido como planejado. Vivi muitas coisas que não teria vivido e não foi fácil, mas foi repleto de aprendizado e conhecimento. Mas comecei a pensar: o que aquela garotinha de 15 anos acharia se soubesse que nada seria como ela planejou? Se eu tivesse a oportunidade de dizer algo pra ela, o que seria? Reuni tudo de mais significativo pra dizer à jovem versão de mim e comecei a desejar que essa oportunidade tivesse sido verdadeira. Aquela garotinha precisava do direcionamento. Acontece que as coisas não são como queremos. De qualquer forma, resolvi escrever tudo que queria ter dito pra mim, na esperança de que ainda exista algo daquela garota de 15 anos em mim hoje.



Vai piorar. Antes de melhorar, vai piorar muito, mas acredite quando eu digo que vai melhorar. Por isso escolhi exatamente sete anos atrás. Naquele ano eu criei o meu plano de 10 anos dizendo que aos 25 eu teria terminado a faculdade de Direito, conhecido a pessoa com a qual passaria o resto da minha vida e já estaria pensando em casamento e em filhos. Naquele ano eu descobri que tinha um talento nato para o piano, mas que muitas obras clássicas que eu amava estavam muito longe do meu alcance. Naquele ano ganhei pessoas que são importantes até os dias atuais e perdi as que achei que não conseguiria viver sem. Naquele ano eu me apaixonei completa e profundamente e também tive o coração bruta e massivamente partido. Naquele ano descobri que era recíproco, eu fui amada, mas durou tão rápido quanto um piscar de olhos. O que quero dizer é que experimentei coisas tão boas que passaram tão rápido e coisas ruins que ficaram por diversas estações dos anos que seguiram. Por isso quero te dizer isso, jovem Karolina, você sobreviveu e a importância que você dá às coisas ruins só depende de você. Se quer um conselho, esquece o que teve de ruim, as coisas boas duraram tempo suficiente para você construir seus sonhos em torno delas e eu sei que você é sonhadora!

Seu jeito é peculiar e vai continuar sendo. Você tem fé nas pessoas e no amanhã, você é diferente! É uma brisa de ar puro e fresco no meio de uma multidão de pessoas iguais. Aos 15 anos você é cheia de ideais e é mais do que posso dizer de muitas das pessoas da sua idade. Sua confiança e fé serão testadas ao longo desses anos, mas posso te garantir que não será abalada ou reduzida! Você sabe sonhar, sempre soube. E vai continuar ministrando esse poder de acreditar nos seus sonhos a cada dia. Além de sonhar, você consegue fazer as pessoas ao seu redor acreditarem nos seus sonhos, eles acreditam em você. Isso é poderoso demais, mas você ainda não tem noção disso. Se conseguimos fazer com que as pessoas acreditem no que fazemos, podemos fazer qualquer coisa.

Te falei sobre as coisas que foram mantidas ao longo dos anos, mas preciso dizer sobre as que não continuaram intactas. Você não vai ser a mesma! A faculdade de Direito vai virar seu mundo dos pés a cabeça. Vai te fazer acreditar em muitas coisas, mas também vai desfazer muitos conceitos que você tinha. Mas não tem problema, conceitos são desfeitos para outros serem construídos! Você vai se expor, vai sair lá fora e vai mostrar os seus talentos e nunca mais tentará passar despercebido como você tem feito. Hoje, perto dos 22 anos, estamos a cada segundo mais próximas de nos tornarmos a mulher que a gente sempre sonhou ser. Talvez uma versão até mais corajosa do que você visualizou nos seus 15 anos.

Você continuará tendo poucos amigos, mas ou poucos que tem valem por muitos. Sei que você gosta de enfrentar os seus problemas sozinha, mas que sempre quis conseguir falar sobre os seus sentimentos. Continuo internalizando tudo, mas descobri aos 21 anos que isso não é um sinal de fraqueza, Karol. Significa que você é forte o bastante para não pedir ajuda. Você sabe resolver os seus problemas sim, não duvide disso. Quando você precisar, sempre vai ter alguém pra te ouvir, mas não reprima as peculiaridades que fazem de você tão diferente! Você criou um blog e agora pode escrever sobre as coisas que você sente. Nunca passou isso pela sua cabeça né? Pois é, a versão atual de você está em constante mudança e gostando de cada segundo disso.

Vai piorar. Antes de melhorar, vai piorar muito, mas acredite quando eu digo que vai melhorar. O vazio vai ser repleto por sonhos, a ausência vai ser repleta por momentos e o torpor será substituído por muitos afazeres, muitos trabalhos, muito aprendizado e muito conhecimento. Sei que nada saiu como planejado, mas ainda há tempo. Te garanto que nada será igual ao que você imaginou, porque eu sou outra. Apesar disso, descobri que ainda quero algumas coisas que você quer. Ainda quero a família, ainda quero a pessoa pra compartilhar a vida, mas quero da minha forma. O que eu quero mesmo é ser livre, quero ser feliz, quero ser eu, mas não quero perder o que tenho de você. Sei que você está esperando as novidades sobre o coração e o amor, mas sete anos depois ainda não sei o que fazer quanto a isso. Como eu disse, estou em progresso.


4 comentários:

  1. Oi Kah nunca fui de ser controladora quanto ao meu futuro, mas gostei bastante do seu post e da sua mentalidade de pensar no futuro mesmo tão novinha o que é super importante mesmo que a ingenuidade atrapalhe um pouco. Achei fantástico esse texto e aprecio essa ideia de falar coisas para si mesma. Espero que as coisas aconteçam seguindo seu próximo planejamento. Bjs *-*


    http://domeumundo-aoseumundo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rê. Nossa, obrigada pelo comentário tão gentil! Tb espero que as coisas sigam o plano, mas se não seguirem, que elas sejam incríveis :D Beijosss

      Excluir
  2. Nossa, super me identifiquei com você. Aos 15 anos eu pensava desse mesmo jeitinho, mas agora ta tudo diferente e beeeeeeeeeem melhor do que eu planejei!
    Beijooooos linda <3,
    http://peqenaruiva.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As coisas nem sempre são como a gente quer ne? hahahahaha. Que bom que foi tudo melhor, Sabrina!!! Beijinhosss

      Excluir